A política do pão e circo que houve em Roma, esta de volta aqui no Brasil com a copa de 2014. Segundo Jorge Abrahão, presidente do Instituto Ethos, “Os investimentos públicos substituíram os investimentos privados na Copa do Mundo de 2014, especialmente em relação aos estádios”, relembrando que, quando o Brasil foi escolhido como sede da Copa, dizia-se que entre 60% e 70% dos investimentos seriam privados.

Mas a realidade de hoje mostra que a Copa do Mundo da iniciativa privada ruiu. Um estudo do TCU (Tribunal de Contas da União) mostra que sairão dos cofres públicos 98,56% dos R$ 23 bilhões orçados para as obras de 2014.

Mas voltando a Roma antiga, a política do pão e circo consistia em oferecer aos romanos alimentação e diversão. Quase todos os dias ocorriam lutas de gladiadores nos estádios, onde eram distribuídos alimentos. Desta forma, a população carente acabava esquecendo os problemas da vida, diminuindo as chances de revolta.

O que tudo mostra é que isso esta acontecendo em nosso país, onde o governo arma um grande circo gastando o dinheiro público de forma desenfreada para fazer uma grande festa onde o público esquecerá por um tempo os problemas vividos no dia a dia, (pelo menos até a realização da copa que será de 12 de junho a 13 de julho) como falta de investimento em segurança pública (haverá investimento, mas só para garantir a ordem durante o período do evento. Após isso a segurança será reduzida), saúde (melhorar o atendimento de nossos hospitais públicos) e principalmente na educação, onde a nossa população precisa ser muito bem educada para ter consciência na hora de escolher os nossos representantes em dia de eleições.

Fonte: Notas Facebook